Publipt - Publicidade na Internet



Terça-feira, 22 de Agosto de 2006

Mutilação Genital Feminina - MGF

  
   140 milhões é o numero de mulheres que já foram submetidas a uma das práticas mais hediondas, e que representa um verdadeiro atentado à vida e saúde da mulher. A prática a que me refiro denomina-se Circuncisão Feminina, mais conhecida como Mutilação Genital Feminina – MGF. E a cada ano que passa, este número aumenta em 2 milhões. Estima-se que esta tradição bárbara se pratique em cerca de 29 países do continente africano e em 3 do Médio Oriente. Contudo, esta prática expandiu-se também aos chamados países civilizados da Europa, onde é praticada no seio das pequenas comunidades emigrantes provenientes dos locais já referidos.
    Nos países onde é praticada, a MGF é considerada um pré-requisito para as jovens mulheres contraírem matrimónio. Os homens recusam-se a casar com um mulher não-excisada , esta chega a ser considerada um híbrido de mulher. As mulheres vítimas da excisão têm o seu desejo sexual reduzido, daí que diminua também a promiscuidade sexual, a vida sem sexo chega a ser mais tolerável. A mutilação é, assim, uma segurança quanto à fidelidade da esposa e quanto à castidade da noiva (o que nem sempre é verdade).
    A MGF é uma tradição baseada em conceitos erróneos, existe a crença de que os órgãos genitais femininos são 'impuros’ ou ‘sujos’ pelo que, só através da extirpação ficam purificados. Baseia-se também na ideia de que só o homem tem o direito de desfrutar do prazer sexual. Além de discriminatória, esta prática é extremamente perigosa, uma vez que não envolve quaisquer cuidados higiénicos. Os materiais usados não são esterilizados, muitas vezes estão ferrugentos e é comum a utilização dos mesmos instrumentos para varias excisões (o que poderá levar à propagação de doenças como, por exemplo, a Sida). Entre esses instrumentos estão as facas, pedaços de vidros, laminas, gelo, pequenos troncos de árvore, espinhos, folhas e ervas. É, por isso, muito frequente a ocorrência de infecções graves que, quando não levam à morte, provocam danos na saúde reprodutiva, nomeadamente, a infertilidade.
 
São 3 os tipos de mutilação genital:
·         Tipo I: Clitoridectomia ou sunna – consiste na remoção do prepúcio do clítoris , pode também incluir a remoção completa do clítoris . Procedimento: o clítoris é seguro entre o dedo polegar e indicador, puxado para fora e amputado com um corte de um objecto afiado. O sangue é estancado através de gazes ou outras substâncias e é aplicado um penso.
·         Tipo II: Excisão – baseia-se na remoção do prepúcio e do clítoris com parcial ou total excisão dos lábios menores. Procedimento: a principal diferença neste tipo é gravidade do corte. Normalmente o clítoris é amputado e os lábios menores são removidos total ou parcialmente, muitas vezes com um mesmo golpe. O sangue é estancado com ligaduras ou com alguns pontos, que podem ou não cobrir parte da abertura vaginal.
·         Tipo III:   Circuncisão faraónica ou infibulação – consiste na remoção do prepúcio, do clítoris , dos lábios menores e maiores. Procedimento: Os lábios maiores são unidos através de pontos ou espinhos/picos e as pernas são atadas durante 2 a 6 semanas. É deixada uma pequena abertura para permitir a passagem de urina e sangue menstrual (tem normalmente 2-3 cm de diâmetro, mas pode chegar a ser tão pequena como a cabeça de um fósforo). Se depois da infibulação a posterior abertura for suficientemente grande, a mulher poderá ter relações sexuais depois da gradual dilatação, que pode demorar semanas, meses ou, em alguns casos, cerca de  2 anos. Se a abertura for demasiado pequena, tradicionalmente recorre-se à defibulação antes de se ter relações sexuais, normalmente efectuada pelo marido ou um parente feminino usando uma faca ou pedaço de vidro. Em quase todos os casos de infibulação, é necessário recorrer a defibulação durante o parto para permitir a saída do feto e, para tal, é essencial a ajuda de uma parteira pois podem ocorrer complicações para a mãe e/ou o feto.
   Tradicionalmente, a re-infibulação é feita após a mulher dar à luz. Este procedimento visa criar a ilusão de virgindade, já que uma pequena abertura vaginal é culturalmente entendida como capaz de dar maior prazer ao homem. Devido aos cortes e suturas repetidos, as consequências físicas, sexuais e psicológicas da infibulação são maiores e mais duradouros do que os outros tipos de MGF .
Dentre todas as mulheres sujeitas à mutilação genital, 80 a 85% são vitimas dos tipos I e II, e as restantes 15 a 20% do tipo III.
 
Principais países onde se pratica a MGF :

Senegal, Egipto, Sudão, Etiópia, Siri Lanka, Somália, Malásia, Serra Leoa, Emirados Árabes Unidos, Índia, Yemen , Indonésia, Omã, Guiné-Bissau, Nigéria, Uganda, Quénia, Tanzânia, Togo, Mauritânia, Gana, Congo, Benim, Camarões, Costa do Marfim, Chade, Gâmbia, Libéria, Mali.


publicado por Sofia_hd às 22:28
link do post | DEIXE A SUA OPINIÃO | favorito
|
16 comentários:
De karla a 3 de Abril de 2009 às 22:10
olá!
sou estudante de enfermagem e gostaria de enteder mais sobre o assunto em questão, estou iniciando um projeto cujo título é infibulação, mas vejo que é limitado o acesso ao tema.
Gostaria que se vc pudesse entrar em contato comigo atraves do e-mail: karlaandrea_al@yahoo.com.br
ficarei muito agradecida!!!!
espero resposta em meu e-mail!!!


De vitor souza a 18 de Outubro de 2009 às 16:04
Que horror. Isso é muito triste. Deveria haver uma lei no Brasil, que aceitasse receber mulheres desses países que não estivessem dispostas a passar por isso. Algo como um refúgio. Assim elas poderiam morar aqui e até casar e ter filhos se quisessem, sem ter que serem mutiladas.


De Indignada a 16 de Fevereiro de 2010 às 18:55
Apresento a minha indignação quanto a essa prática, depois esse países passam por situações de miséria e pragas horríveis e não sabem por que, com certeza é um reflexo do atraso espiritual de todos eles. Que Deus tenha misericordia , e que isso acabe o quanto antes.


De taty a 24 de Fevereiro de 2010 às 19:03
Tenho uma curiosidade... esse processo e feito sem nenhuma nestesia, elas sente a dor da mutilaçao?
Obrigado


De Sofia_hd a 24 de Fevereiro de 2010 às 19:11
Olá Taty.

Este procedimento é feito sem anestesia, logo, a dor está presente, não só no momento da mutilição mas nos dias seguintes, enquanto cicatriza. Também não se usam quaiquer medicamentos para prevenir as infecções que podem surgir e outras complicações. É uma prática hedionda e que provocará uma dor que nós só podemos imaginar...

Obrigada pela visita.


De GERSON a 13 de Julho de 2010 às 20:28
Oh! Meu anjo, esses caras cortam as meninhas com caco de vidro, porque usariam anestesia ?
É na cara e corajem das pobresinhas..


De clicy oliveira de vasconcelos a 27 de Dezembro de 2010 às 19:55
Meu Deus que acção horrível, com certeza é por isso que esses países não deixam de ser miserável, e por um paga todos, pois o único que pode a vier castigar o ser humano é Deus e ninguém mais, e que ele tenha misericórdia dessa mulheres. Não vejo nenhum motivo horripilante para ta acção medíocre .


De Barbara paz a 30 de Março de 2011 às 13:34
Fdsss, isso e muito mauu .. se nascemos com isso e porque pesisamos ... nãoo acho justo fazerem isso para as mulheres nao sentirem prazer, é uma coisa tola .. pelo amor de deus, gostava de ver, um homem a cortar o penis pa ver o que ele dissia ... se uma mulher nao tem o direito de ir para a cama c/ outros homens ! os homens tambem nao teem que ir para a cama c/ outras mulheres ... Deus inventoo o homem, e disso para os outros eu consigo fazer melhor e inventoo a MULHER ;) *.*


De Marcia a 29 de Abril de 2011 às 23:55
Olá , sou uma estudante do secundário , curiosa sobre MFG que ouvi falar na tv , decidi peskisar , e tenho uma duvida , qual a razao para fazer esse "crime " que no comtinente africano nao é permitido fazer isso , mas é dificil comtrolar . qual é a razao?


De gege a 23 de Maio de 2011 às 14:54
eu sou brasileira e conheci um indiano e queremos nos casar se eu for casar na india eu vou ter o clitoris cortado ou isso e so para as indianas


De Domingos Cá a 6 de Junho de 2011 às 14:02
Sou eu Domingos Cá a partir da Guiné-Bissau. Quero saber qual é o modo de actuação daqueles que os praticam e porquê?


De Luiz Junior a 23 de Agosto de 2011 às 22:54
Sou acadêmico de direito, e estou preparando um artigo, sobre a mutilação genital feminina (GMF), na Somália. E, eu gostaria de receber um pouco mais de informações sobre o assunto e como fazer para tentar fazer com que essa prática, amplamente violadora dos principios da inerentes a dignidade da pessoa humana, pare de ser pratcada. Meu e-mail é lgssjr@hotmail.com

Agradeço desde já.


Comentar post

."Linka-me"

Procura por mim



Também estou no Twitter:

http://twitter.com/Sofia_hd 

 





.mais comentados

.Procura por mim

Procura por mim

.Sobre a Autora

.links

.Desumanidades

. E lá vão 3

. Para rir um bocadito...

. Debate António Costa vs S...

. Em período de HIBERNAÇÃO

. A história de um leão

. Direitos dos animais: tou...

. E a moda da Sapatada pego...

. Vamos twittar!

. Já é tempo de alguém dize...

. Preservativos 'católicos'

. FEMINISTIZA_TE

. Cão de água Português vs ...

. Mancha Vermelha

. Pandas: Procriação de suc...

. I'm Back!

. Para Todos!

. Whale Wars

. Sea Shepherd volta à acçã...

. Pense duas vezes

. Haja paciência!

. Manifestação Anti-Tourada

. Nem as crianças são assim...

. DECO organiza manifestaçã...

. Um bocadinho farta!

. Trocando opiniões

. Porta-bandeira iraniana g...

. O sonho (pesadelo) de uma...

. 2 Anos!

. O Véu do Medo

. Crime: ter sido violada

. Espanhóis manifestam-se c...

. Urso polar avistado na Is...

. Dia Mundial Da Criança?!

. Quem é a verdadeira besta...

. Seal hunt

. De volta à acção!

. As piadas de Bush

. A hipocrisia

. Faz sentido comemorar o D...

. Japoneses disparam sobre ...

. Sea Shepherd alcança navi...

. Histórias de vida e de co...

. Porquê pai?

. De volta!

. Começou a caça às baleias...

. Notas de 10 milhões!

. O que tem acontecido na A...

. Baleia vs Japoneses

. I also love Sea Shepherd!

. I Love Greenpeace!

.Baú

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.Estou no facebook

Sofia Hd Mendes

Cria o teu cartão de visita
FEMINISTIZA_TE




.subscrever feeds